A Graça de Deus

A Graça de Deus

Título: A Graça de Deus   Texto Bíblico: Tito 2.11-14     11 – Porquanto a graça de Deus se...

A Graça de Deus

Título: A Graça de Deus

 

Texto Bíblico: Tito 2.11-14

 

 

11 – Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens,

 

12 – Educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente,

 

13 – Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus,

 

14 – O qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.

 

Introdução

 

O autor desta carta é o apóstolo Paulo e o propósito é de incentivar Tito a completar a organização das igrejas em Creta. Confrontar as ações dos falsos mestres nessa região e instruir os crentes a terem uma conduta cristã apropriada. Assim orientando os cristãos a ter uma vida sóbria e piedosa.

 

A primeira recomendação dada a Tito no início do capítulo dois, é que se ensine da sã doutrina. Uma das meditações teológicas apresentada por Tito, é baseada na graça que Deus que se tornou disponível por meio de Jesus Cristo.

 

Tito ensina que a graça de Deus é a razão pela qual, todo cristão pode e deve viver uma vida cristã saudável.

 

Lembra os cristãos em Creta que a graça de Deus é seu favor ativo, outorgando o maior dom aos que merecem a maior condenação. Surgindo repentinamente sobre os que estavam nas trevas e na sombra da morte.

 

A Graça de Deus desponta quando Jesus Cristo nasce, quando seus lábios emanaram palavras de vida e beleza, quando curava os enfermos, limpava os leprosos, expulsava os demônios, ressuscitava os mortos e quando entrega a Sua vida pelas ovelhas para reassumir no terceiro dia. Desta forma a graça foi derramada pelo mundo.

 

A Graça de Deus trouxe esta salvação a toda humanidade, homem e mulher, rico e pobre, idoso e jovem, ela veio resgatar o homem do mal, tirar da escuridão e levar para a luz.

 

Sem a graça de Deus todos estaríamos mortos, condenados, perdidos sem esperança, condicionados a perdição eterna, sofrimento imensurável.

 

A Graça de Deus é tão eficaz que ela salva o homem condenado, santifica mudando seu ser, para parecer com Cristo Jesus e no dia mais glorioso, seremos glorificados com um corpo parecido o de Cristo, neste momento seremos levados para um lugar preparado e louvaremos ao Nosso Rei, por toda eternidade. Portanto a graça de Deus Salva, Santifica e Glorifica.

 

  1. Salva

 

“11 – Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens,”

“14a – O qual a si mesmo se deu por nós, ...”

 

O apóstolo Paulo declara que a salvação vem ao encontro de todos os homens. Na parte b do primeiro versículo do primeiro capítulo na carta de Paulo a Tito, deixa claro que TODOS OS HOMENS, É PARA OS ELEITOS DE DEUS.

 

Paulo tem em mente uma nota evangelística, a salvação veio para todas as classes de pessoas com suas diversas formas de vida, colocando grande ênfase sobre o fato de que a graça de Deus se condescendeu até mesmo dos escravos. Deus não despreza ninguém, dos seus eleitos, nem mesmo o homem qual humanamente julgamos não merecer a salvação.

 

Todas as promessas de Deus e Sua obra salvadora desde o começo, revelaram a sua graça. Toda as bençãos e dons foram planejados para levar os homens ao arrependimento[1].

 

Todos homens são culpados diante de Deus, todos devem viver vidas consagradas. Somente Jesus Cristo, pode mudar, levando o homem ao verdadeiro arrependimento.

 

Seria irracional de nossa parte, se porventura nos fizéssemos negligentes em propagar a graça salvadora de nosso Senhor Jesus Cristo.

 

A Graça salva as pessoas e a conserva unidos junto a Ele.

 

Lucas no capítulo vinte e três, a partir do versículo trinta e dois, traz um relato de outros dois homens que foram levados juntamente com Cristo Jesus para serem crucificados. Esses homens segundo a escritura eram malfeitores, um blasfemava contra Jesus Cristo, o outro, reconhece o seu erro, dizendo que sua condenação era justa, mas Cristo Jesus era inocente, nada tinha feito. Ele pede para o Senhor Jesus lembrar dele quando chegasse em seu reino.

 

Jesus então acrescenta dizendo que naquele mesmo dia, aquele malfeitor estaria com ele no reino dos céus. Ele é perdoado pelos seus pecados, porque a graça de Deus salva.

 

Cristo Jesus foi levado na cruz, e com ele levou todos os nossos pecados, nosso Senhor morre por nós. Aquele malfeitor recebeu a graça da salvação, porque reconhece que Cristo é inocente de todas as acusações e estava ali sem merecer, mesmo Cristo sendo Rei.

 

Apesar de ele ter se convertido de uma vida de pecado e blasfêmia apenas instantes antes de sua morte, esse homem não precisou esperar, Jesus disse ainda hoje estarás comigo no reino dos céus.

 

Essa Graça salvadora é maravilhosa, pois ela é eficaz em nossa vida. A graça de Deus nos ensina a proclamar a todos os homens a graça salvadora. Essa graça que salva também santifica.

 

  1. Santifica

 

“12 – Educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente,”

“14b - ...a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar...”

 

A mesma graça que salva ela também ensina e educa para uma vida sóbria e piedosa.

 

A graça conduz o homem dia a dia, guia, ensina regras pela qual podemos ordenar bem nossas vidas. Neste versículo somos informados que devemos começar pela renúncia de nossa forma anterior de vida. Duas características são mencionadas neste versículo, impiedade e paixões mundanas.

 

Na impiedade pode incluir-se as superstições nas quais os cristãos em Creta se desviaram, mas também a negligência religiosa em relação a Deus. O que prevalece entre os homens, porém, a luz do conhecimento da verdade, abre nossos olhos e alerta-nos. Muitos professam alguma sorte de religião, nunca temem a Deus, têm suas consciências adormecidas, de modo que nada está mais distante de seus pensamentos do que seu dever de servir a Deus.

 

Quanto as paixões mundanas, o aposto Paulo inclui todas as afeições da carne, neste sentido, a condição do homem está voltada para o mundo, até que o Senhor nos atraia para si. A meditação sobre a vida celestial começa depois de nossa regeneração, antes disso, nossos desejos estão direcionados para o mundo e condicionados somente a ele.

 

Quando somos atraídos pela graça santificadora, nossos desejos e o andar mudam completamente. Na parte b do versículo doze o apóstolo Paulo mencionara três elementos, Sóbria, justa e piedosamente, uma vez mais ele faz a mesma indicação, apresentando um sumário abrangente da vida cristã. Esses elementos têm que estar presente na vida de um cristão.

 

Uma vida Sóbria está relacionada a moderação, todo cristão deve ter uma vida moderada, equilibrada. Ter comportamento de quem evita excesso, procura ser prudente na forma de pensar e expressar. Neste sentido evite os exageros. A vida piedosa está intrinsicamente relacionada a Deus, e a justiça é um exercício em relação aos homens. A pessoa dotada de ambas não carece de nada no âmbito da perfeita virtude, pois na lei de Deus há plena perfeição, à qual nada se pode acrescentar.

 

Os exercícios da piedade dependem da primeira tábua da lei, assim a temperança, a qual ele menciona também nesta passagem, não tem outro propósito senão o de cumprir a lei, neste sentido a prudência, é acrescentada como uma espécie de aperfeiçoamento.

 

A graça santifica o homem causando mudanças em seu ser. Embora os frutos das boas obras ainda não se manifestem, não obstante a esperança deve ser suficiente para incitar-nos à prática das boas obras.

 

A Graça santifica o homem provocando em nós um olhar para a eficácia encontrada em Cristo Jesus. Nossa maior busca não está aqui nesta vida, mas sim na vida futura.

 

A Graça que nos salva, também santifica e finalmente glorifica, por esse motivo o cristão está sempre olhando e ansiando pela volta de Cristo.

 

  1. Glorifica

 

13 – Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus,”

“14 c - ...para si mesmo, um povo exclusivamente seu...”

 

Paulo expressa o restante do seu pensamento com o grande acontecimento, a vinda de Cristo Jesus. Ele encontra no futuro a esperança qual foi base para sua exortação. Se essa esperança é profundamente firmada em nossa mente, ela leva-nos a devotar-nos integralmente a Deus.

 

A glória de Deus difundirá por todo o universo, de modo que todos os eleitos recebam a bênção de participarem dela. Neste sentido continuar a viver para o mundo, desejando as coisas da carne, é não dar importância a vida eterna.

 

Nesta epístola Deus é qualificado de grande, visto que sua grandeza, a qual os homens têm obscurecido com o mero esplendor deste mundo, debilitando-a, aniquilando-a o tanto quanto podem, mas, Ela se manifestará plenamente no último dia.

 

Cristo Jesus dispersa todas as obscuridades e vãs ostentações deste mundo, de tal modo que nada mais poderá obscurecer o resplendor de sua glória, nem nada subtrair à sua grandeza. O Senhor demonstra sua majestade todos os dias através de suas obras.

 

O apóstolo Paulo convida-nos a meditar na volta de Cristo Jesus. Meditem confiante, sobre a glória que se revelará no último dia, a fim de que Deus seja glorificado, mesmo o mundo o desprezando. A segundo volta de Cristo é real, acontecerá em pouco tempo.

 

Quando Cristo manifestar-se, a grandeza da glória de Deus também se revelará. Ele se ofereceu em nosso lugar para que fôssemos redimidos da escravidão do pecado. Sua graça, inevitavelmente, traz consigo novidade de vida. Porém aqueles que continuam servindo ao pecado, tornam nula a bênção da redenção, sendo assim condenados pela eternidade em sofrimento imensurável a mente humana. Mas aqueles que foram resgatados da escravidão do pecado, serviram à justiça de Deus.

 

Cristo Jesus purificará para si um povo para ser exclusivamente seu, zeloso e de boas obras. O fruto da redenção está perdido, caso ainda sejamos dominados pelos desejos pecaminosos do mundo. Nós fomos consagrados para a prática de boas obras mediante a morte de Cristo, ele usa o termo purificar.

 

Jesus Cristo voltará para buscar-nos. Sua volta está muito próxima. Hoje pode ser o momento em que os céus se desfaçam, e com grande estrondo todo olho contemplará a volta do Nosso Senhor e salvador.

 

Não se deixe macular com as imundícias deste mundo, das quais a morte do Filho de Deus nos purgou.

 

Um dia teremos um corpo incorruptível, parecido com o de Cristo, Esse será nosso corpo glorificado sem pecado. Então seremos um povo exclusivamente do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

 

Glorificado é o nome do nosso Senhor e salvador Jesus Cristo.

 

Conclusão

 

Nesta epistola Tito é orientado, para que ele perseverasse, sem cessar, nessa edificante doutrinação, e que jamais se cansasse dela. Também lhe diz que acrescentasse à doutrina estímulos, exortações e reprovações, porquanto nem sempre os homens são suficientemente lembrados de seus deveres, a menos que sejam também veementemente impulsionados a desempenhá-los.

 

O apóstolo dirige a Tito uma admoestação para chamar a atenção e o respeito dos homens para a integridade de sua vida, e é plenamente procedente que uma conduta santa e irrepreensível gere autoridade para a sã doutrina.

 

Semelhante aquele tempo, muitos tinham ouvidos tão delicados, que desprezavam a simplicidade do evangelho, pois sentiam uma ansiedade tão profunda por novidade, que dificilmente deixavam algum espaço à edificação.

 

O Apóstolo Paulo, golpeia o orgulho deles e lhes ordena estritamente que cessem, de uma vez para sempre, de tratar com desdém a doutrina que é sã e proveitosa.

 

Neste trecho da epístola de Paulo a Tito, somos exortados para olhar para a sã doutrina. Tito traz com tema a Graça de Deus que Salva, Santifica e Glorifica.

 

Vimos que a maravilhosa graça de Deus é eficaz em nossas vidas.

 

 Aplicação

 

Primeiro: O maior incentivo à crescente atividade e disposição em fazer o bem, Cristo entregou sua vida por nós, Ele é o nosso salvador. Coloque diante de Cristo sua vida, pois somente Ele pode salvar.

 

Segundo: Os crentes devem ter sempre seus olhos fixos em Cristo Jesus, para que não se sintam exaustos em prosseguir, vamos depender inteiramente do Nosso Senhor ou seremos continuamente arrebatados pelas ilusões do mundo.

 

Terceiro: Cristo nos apresenta como o único Senhor e Salvador, qual também será nosso futuro advogado diante do grande Juiz. Ele voltará para buscar os seus eleitos.

 

 

 [1] Romanos 2.4

 

Comentários