O perfil do pregador

O perfil do pregador

O perfil do pregador   “Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo...

O perfil do pregador

O perfil do pregador

 

Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus. 2 Coríntios 2:17

 

 Nós fomos criados para adorar a Deus, e nossa alma não encontra repouso seguro, a não ser que repouse nEle.

 

A pregação é a palavra de Deus, o pregador não precisa prover ou criar alimento, mas sim, administrar o que está nas escrituras sagradas. O pregador fala em nome do Rei, levando a mensagem real ao povo.

 

Jhon Stott é considerado um grande expositor bíblico, seus livros têm sido considerados um grande marco na erudição teológica.

 

Stott escreveu um livro chamado “O perfil do Pregador”, e descreve o perfil do pregador embasado em cinco figuras neotestamentárias.

 

 A primeira figura neotestamentárias que vamos utilizar encontra-se em 1 Coríntios 4.1-2, 1Assim, pois, importa que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus.2Ora, além disso, o que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel.”

 

Paulo nos mostra que o pregador deve ser fiel a palavra de Deus, o ministro autêntico da Palavra de Deus, não se pode expor a palavra do Senhor conforme o capricho dos membros, mas sim manter-se fiel as escrituras sagradas.

 

O pregador é como um mordomo,ele é encarregado de servir à família de Deus. Um mordomo não precisa prover nada, enfeitar ou criar, ele apenas administra aquilo que lhe é confiado. O proprietário é responsável por suprir a dispensa, o mordomo, prepara, balanceia e serve às mesas.

 

Nesta ótica o pregador não inventa nada, mas faz a exposição das escrituras sagradas, o conteúdo da mensagem é a própria palavra de Deus.

 

O pregador é como arauto 2 coríntios 5.20, “De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus.

 

O pregador fala em nome do rei, trazendo uma mensagem real para o povo. Sua mensagem e sua autoridade vêm de Deus. Ele proclama a mensagem de Deus, na autoridade de Deus, para o povo de Deus. O pregador tem que se manter fiel ao Rei, passar apenas o que está nas escrituras, sem modifica-la, para agradar alguém.

 

 O pregador é como testemunha atos 1.8, “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.

 

O pregador é alguém que experimentou em sua vida, o amor de Deus, pois ele anda com Deus.

 

O pregador fala o que viu, ouviu e experimentou. A vida do pregador é seu sermão mais eficaz, somente alguém que anda com Deus e tem uma vida abundante em Jesus, tem autoridade para pregar com poder do evangelho. É um terrível pecado anunciar aos outros algo que o próprio pregador ainda não experimentou.

 

O pregador é como pai1 Timóteo 4.14-16, “14Não te faças negligente para com o dom que há em ti, o qual te foi concedido mediante profecia, com a imposição das mãos do presbitério. 15Medita estas coisas e nelas sê diligente, para que o teu progresso a todos seja manifesto. 16Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes.

 

O pregador precisa ter um profundo relacionamento de amor com aqueles para quem prega.

 

Uma coisa é amar a pregação, outra bem diferente é amar o povo para quem se prega.

 

O pastor não é um orador, pois ele apascenta suas ovelhas com amor e com lagrimas o rebando de Cristo.

 

O pregador precisa não apenas pregar, mas exegetizar o texto e o povo. Precisa amar ao Senhor e amar o povo de Deus. Somente com um coração de pai, o pregador pode apascentar, com conhecimento, sabedoria e entendimento o rebanho de Deus.

 

O pregador como servo Filipenses 1.1, “Paulo e Timóteo, servos de Cristo Jesus, a todos os santos em Cristo Jesus, inclusive bispos e diáconos que vivem em Filipos,

 

Finalmente, o pregador deve ser servo de Deus e servo do povo. O pregador não deve se alimentar da vaidade. Sua liderança é para servir. Sua vocação é semelhante à do seu mestre, que veio para servir, e não para ser servido.

 

Sendo servo por amor, o pregador será poderoso instrumento nas mãos de Deus.

 

Que todos sejam serviços de Cristo, humildes perante a Deus, assim como Jesus, sejamos todos discípulos de nosso Senhor.

 

Que Deus nos abençoe e que sejamos servos nas mãos de Deus.

 

Comentários