Perigo dos Falsos Mestres

Perigo dos Falsos Mestres

Perigo dos Falsos Mestres   2 Pedro 2.1-22[1]   Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá...

Perigo dos Falsos Mestres

Perigo dos Falsos Mestres

 

2 Pedro 2.1-22[1]

 

  1. Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.
  2. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade
  3. também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.
  4. Ora, se Deus não poupou anjos quando pecaram, antes, precipitando-os no inferno, os entregou a abismos de trevas, reservando-os para juízo;
  5. e não poupou o mundo antigo, mas preservou a Noé, pregador da justiça, e mais sete pessoas, quando fez vir o dilúvio sobre o mundo de ímpios;
  6. e, reduzindo a cinzas as cidades de Sodoma e Gomorra, ordenou-as à ruína completa, tendo-as posto como exemplo a quantos venham a viver impiamente;
  7. e livrou o justo Ló, afligido pelo procedimento libertino daqueles insubordinados
  8. (porque este justo, pelo que via e ouvia quando habitava entre eles, atormentava a sua alma justa, cada dia, por causa das obras iníquas daqueles),
  9. é porque o Senhor sabe livrar da provação os piedosos e reservar, sob castigo, os injustos para o Dia de Juízo,
  10. especialmente aqueles que, seguindo a carne, andam em imundas paixões e menosprezam qualquer governo. Atrevidos, arrogantes, não temem difamar autoridades superiores,
  11. ao passo que anjos, embora maiores em força e poder, não proferem contra elas juízo infamante na presença do Senhor.
  12. Esses, todavia, como brutos irracionais, naturalmente feitos para presa e destruição, falando mal daquilo em que são ignorantes, na sua destruição também hão de ser destruídos,
  13. recebendo injustiça por salário da injustiça que praticam. Considerando como prazer a sua luxúria carnal em pleno dia, quais nódoas e deformidades, eles se regalam nas suas próprias mistificações, enquanto banqueteiam junto convosco;
  14. tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecado, engodando almas inconstantes, tendo coração exercitado na avareza, filhos malditos;
  15. abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça
  16. (recebeu, porém, castigo da sua transgressão, a saber, um mudo animal de carga, falando com voz humana, refreou a insensatez do profeta).
  17. Esses tais são como fonte sem água, como névoas impelidas por temporal. Para eles está reservada a negridão das trevas;
  18. porquanto, proferindo palavras jactanciosas de vaidade, engodam com paixões carnais, por suas libertinagens, aqueles que estavam prestes a fugir dos que andam no erro,
  19. prometendo-lhes liberdade, quando eles mesmos são escravos da corrupção, pois aquele que é vencido fica escravo do vencedor.
  20. Portanto, se, depois de terem escapado das contaminações do mundo mediante o conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, se deixam enredar de novo e são vencidos, tornou-se o seu último estado pior que o primeiro.
  21. Pois melhor lhes fora nunca tivessem conhecido o caminho da justiça do que, após conhecê-lo, volverem para trás, apartando-se do santo mandamento que lhes fora dado.
  22. Com eles aconteceu o que diz certo adágio verdadeiro: O cão voltou ao seu próprio vômito; e: A porca lavada voltou a revolver-se no lamaçal.

 

Introdução

 

A segunda carta de Pedro foi escrita a todos os cristãos do seu tempo. Trata das falsas doutrinas que estavam sendo espalhadas entre eles. Ele admoesta contra os falsos mestres e esclarece sobre a esperança da vinda do Senhor. Recomenda ainda que todos façam o possível para estar em paz com Deus, sem mancha e sem culpa diante dele.

 

Por volta de 65 – 67 depois de Cristo, o apóstolo Pedro, escreve está epístola para encorajar os cristãos perseguidos e confusos a permanecerem firmes e unidos na sua fé.

 

            Neste capítulo em específico Pedro trata sobre as heresias destruidoras, demonstrando os danos que pode ocorrer ao ministrar ensinos não bíblicos, retirando a divindade de Jesus. No primeiro capítulo desta epístola, Pedro trata da influência perniciosa dos falsos mestres. Deixando bem claro que os apóstolos não seguiram “fábulas engenhosamente inventadas”[2].Observe que ele está falando dos opositores a Cristo, que estavam circulando pela comunidade cristã, inseridos em meios aos líderes.

 

            Quando consideramos os falsos ensinos, qual a igreja primitiva tinha que lidar, podemos entender o desejo de Pedro, para encorajar os cristãos a serem fortes e perseverarem em sua fé e na vida espiritual. Pedro oferece toda a informação necessária para os cristãos terem sucesso na oposição aos falsos ensinos.

 

            Em nossos dias vivemos dias semelhantes ao de Pedro, encontramos muitos lideres religiosos, qual ensinam doutrinas com heresias, passam ensinamentos qual não conhecem verdadeiramente.

 

Retiram o significado da cruz, colocam intermediadores entre o povo, CRISTO e DEUS, como se a morte e ressurreição do nosso salvador não fosse suficiente.

 

Com a facilidade da comunicação, seja ela na forma escrita, por áudio ou vídeo, as informações têm chego em grande escala, qual muitos dos cristãos tem recebido, absorvido e passado de uma forma avassaladora, o falso evangelho, os ensinos heréticos[3]para outros membros da comunidade como se fosse verdade.

 

Heresias Introduzidas No Meio Do Rebanho.

 

O que vem a ser uma heresia?

 

Para o cristão a Bíblia é a única regra de fé e prática, qualquer tipo de ensino ou doutrina que não conste nas escrituras sagradas, ou que deturpa, os ensinamentos das escrituras isso é uma heresia.

 

Os falsos ensinos negam a verdade de Cristo, não trata sobre o arrependimento, em geral sempre traz uma mensagem de bom animo, que agrade o coração, não entra em conflito com as condições pecaminosas na vida do dia a dia.

 

Os falsos mestres têm uma conduta pervertida, são maledicentes, homens vis[4], eles não respeitam a autoridade, eles difamavam os apóstolos, ou seja, quando você conhece alguém que difama, fala mal, coloca uma pessoa contra a outra, isso não vem de Deus, pelo contrario isso é uma conduta satânica.

 

Eles ensinam que Deus precisa de você, que você é importante para Ele, como se Ele fica procurando um jeito de relacionar com você, trazem também sempre novas revelações, entendimento que ninguém nunca teve, diz que os anjos, Deus deu-lhe novo entendimento, algo que ninguém teve ainda.

 

Procuram ganhar a confiança dos homens, se aproveitaram para ensinar doutrinas que nunca foram encontradas em lugar algum da Bíblia, com a desculpa de terem recebido do próprio Deus.

 

Esses falsos ensinos entram por pessoas que estão desacostumadas em investigar a Palavra de Deus, simplesmente aceitam, acabando por tornarem-se cúmplices dos maus obreiros.

 

Paulo ao escrever sua primeira epístola a Timóteo[5], alerta que os falsos mestres são movidos pelo amor ao dinheiro, trazendo para si um império financeiro, por causa desse amor, muitos se desviaram da fé.

 

Na história podemos encontrar relatos que antecederam a Reforma Protestante, um monge dominicano passou a vender indulgências, segundo alguns estudiosos, isso representava na verdade, a compra do perdão. Nos dias de hoje temos muitos ensinos, retirando a obra de Cristo na Cruz, não dando a devida ênfase, o que Cristo fez por nós, e colocando como se o dízimo é quem salva.

 

Isso é uma heresia movida por ganância e cobiça que irá terminar em um racha de proporções inimagináveis, como aconteceu na época da reforma.

 

Pedro continua alertando os cristãos que eles farão negócios de nós com palavras fingidas. Usando uma fé mal fundamentada para enriquecerem. Com sutileza construirão sistemas, estratégias e modelos teológicos completamente diferentes qual encontrados na Bíblia, criarão doutrinas baseadas em conclusões humanas e tradições sociais, e jogarão tudo isso sobre o rebanho, como se fosse Palavra de Deus.

 

O falso mestre despreza a decência e a ordem, não se sujeita à autoridade constituída por Deus, vive a síndrome da autoridade eclesiástica, ele acredita que a vocação lhes dá o direito de ser rebelde, completamente diferente do que encontra-se no antigo testamento, por exemplo Moisés, que mesmo tendo que confrontar o Faraó, nunca lhe dirigiu uma palavra desrespeitosa, da mesma forma, Samuel, Eliseu, Daniel e João Batista.

 

Homens que sempre estiveram perto do poder, mas não se contaminaram com ele, não deixaram de dizer o que tinha que ser dito, mas nunca se dirigiram a um rei ou a qualquer outra autoridade de forma desrespeitosa ou desonrosa.

 

Pedro continua a exortar, lembrando que esses mestres podem ser facilmente reconhecidos pelo enorme apreço que eles têm pelos prazeres[6]cotidianos, não se preocupavam em escandalizar o rebanho. Seu assunto preferido será sempre o dinheiro.

 

Seus discursos[7]estão sempre contando vantagens, exaltando coisas materiais, o nome de suas igrejas, os carros que estão na porta, as amizades importantes, que muitos fazer questão de informar ser seus amigos pessoais.

 

Pedro finaliza revelando que, quem os segue e acredita em seus discursos, orgulhosos e vaidosos acaba indo pelo mesmo caminho[8]. Mesmo tendo recebido o verdadeiro conhecimento de Cristo, acabaram se deixando seduzir novamente pelas ilusões do mundo onde estavam antes. O que foi limpo tornou-se a se sujar.

 

Quero chamar sua atenção para o verbo encontrado no primeiro versículo, “haverá”, Pedro não usa o verbo no passado, mas sim no futuro, desta forma compreendemos que como no passado, hoje viveremos esses acontecimentos.

 

Apesar da morte de Cristo ser suficiente para redimir o mundo todo, sua eficácia só pode ser vista no povo escolhido de Deus.

 

Como Combater as Heresias

 

Deus nos deixou sua palavra escrita, Ele fala conosco através das escrituras, qualquer ensino tem como fundamento, as escrituras.

 

O único jeito de combater as heresias, é não aceita outro alimento, senão a Palavra do Senhor. O discípulo de Cristo não se conforma com outro pão que não seja o que desceu do céu. E são esses quem o Senhor livrará da tentação de serem seduzidos pelas heresias que vem envolvendo a igreja do Senhor nesses últimos dias.

 

Paulo relata em seus ensinos que os eleitos de Deus, nunca devem ir além daquilo que está escrito[9], nas Escrituras Sagradas.

 

Não troque a pureza da revelação do Espírito Santo, pela sedução dos templos superlotados, inchados de pessoas, que estão vazias de Deus.

 

A única forma de ser cheio de Deus, é ser alicerçado na Palavra de Deus. Quem a ouve a pratica.

 

Conclusão

 

Pedro escreve esse capítulo para advertir os crentes sobre as heresias perniciosas dos falsos mestres que negam abertamente a soberania de Cristo e, consequentemente, estão diante de destruição repentina. Pedro descreve a avareza e a desonestidade desses mestres como forma de advertência, afirma que muitos na comunidade cristã seguirão seus caminhos imorais.

 

Observe que Pedro compara os destinos dos falsos mestres, com o destino dos anjos que se rebelaram contra Deus.

 

O perigo do cristão transitar em meios aos falsos mestres, é que ele começa a receber ensinamentos e acaba aceitando a heresia, os ensinamentos doutrinários contrários aos que Cristo nos deixou.

 

Uma vez aceita essa doutrina que não vem de Deus, o que vem a seguir é como diz o próprio Cristo, uma casa edificada sobre a areia.

 

A linguagem de Pedro é ilustrativa. Ele faz uso de metáforas ao descrever os falsos mestres, os quais retrata como fontes sem água e nuvens sem chuva. Mais uma vez, Pedro adverte os crentes sobre a sedução. Os hereges prometem liberdade, porém eles próprios são escravos do pecado.

 

“Um abismo chama outro abismo”[10], esse salmo está dizendo que um erro leva a outro erro, quando se da conta, estamos envolvidos por ensinos estranhos, desta forma, ao invés de nos aproximamos de Deus, seremos levados para bem longe dEle.

 

Teria sido melhor se jamais tivessem conhecido a Cristo. Pois Prestaremos conta de tudo o que dissermos e fizermos a Deus, no dia do juízo final.

 

Que Deus tenha misericórdia de nós.

 

[1]Bíblia de Estudo de Genebra, 2ª Ed. Revisada e Ampliada

 

[2]2 Pedro 1.16

 

[3]Os hereges são filhos espirituais dos falsos profetas do antigo testamento, no antigo testamento tinha as falsas previsões ou acontecimentos, agora no novo testamento temos os ensinos errados das escrituras, ela não é a fonte de regra de fé e pratica, ensinam conforme as suas próprias vontades e entendimento, sem dar a verdadeira atenção aos escritos bíblicos.

 

[4]Provérbios 6.12

 

[5]I Timóteo 6

 

[6]Deleites

[7]II Pedro 2.18

[8]II Pedro 2.20

[9]I Coríntios 4:6

[10]Salmo 42.7

 

Comentários